sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Aquartelamento no Cobué (3)

A "machamba" no Cobué

Em Julho de 1969 e face às dificuldades em alimentação que se sentiam no Cobué, decidiu o DFE5 aproveitar um terreno inculto nas proximidades, junto ao Lago Niassa, para cultivar vegetais que tanta falta faziam.

Com explosivos rebentaram-se grandes pedras (para assim se poderem retirar) e um tractor conseguido de Metangula ajudou a lavrar o terreno. Depois da sementeira, em especial de alface e tomate, tudo regado com água do Lago Niassa mesmo ao lado, os resultados foram surpreendentes. Passaram-se a assegurar saladas nas duas refeições principais, almoço e jantar, para cerca de 140 homens: 80 do DFE5, 30 do pelotão duma Companhia de Fuzileiros cujo comando se encontrava em Metangula e 30 dum pelotão do Exército. Mesmo assim a produção excedia as necessidades, tendo-se chegado a “exportar” para lanchas e para o Comando da Defesa Marítima.

Foto Cobue022

2 comentários:

Antides disse...

Bucólica imagem de terra cultivada, com uma torre de igreja ao fundo. Mostrem isto aos sírios, eles vítimas também de uma guerra mortífera. Às vezes temos de engolir o orgulho, porque "valores mais altos se levantam" (Camões).

Antides disse...

Bucólica imagem de terra cultivada, com uma torre de igreja ao fundo. Mostrem isto aos sírios, eles vítimas também de uma guerra mortífera. Às vezes temos de engolir o orgulho, porque "valores mais altos se levantam" (Camões).