terça-feira, 2 de julho de 2013

Operação Nó Górdio (17). Em Muera.

Em Julho de 1970
Depois de efectuado o assalto à Base "Nampula" pelos DFE5 e DFE11 e um Grupo de Combate duma Companhia de Comandos (23ª), em que apenas foram encontrados vestígios de utilização daquela base, numa área a pouca distância daquela foi estabelecida uma base para as tropas portuguesas que se passou a chamar Muera. 
Pouco tempo depois o Comandante-Chefe das Forças Armadas em Moçambique, General Kaulza de Arriaga, deslocou-se de helicóptero ao local, onde foi recebido pelo Comandante Naval de Moçambique Comodoro Jaime Lopes, pelo Comandante da Operação (COFI) Coronel paraquedista Armindo Martins Videira (de costas) e pelo Comandante do Agrupamento C 1º Ten Vidigal Aragão (Comte do DFE5). 
O Gen Kaulza de Arriaga fazia-se acompanhar, entre outros elementos, pelos dois elementos* do Exército visíveis na foto á direita.


Nota*: O Oficial Superior à direita é o Maj. de Cavalaria Filomeno Malheiro Garcia, irmão mais novo do oficial de Marinha e FZE Malheiro Garcia que foi Comandante do Corpo de Fuzileiros. 
Aguardando-se confirmação, julga-se que o outro oficial, o segundo a contar da direita, poderá ser o Coronel tirocinado Castro Ascenção (Chefe do Estado-Maior do Comandando-Chefe)

Agradece-se ao Cor. Carlos de Matos Gomes então nosso companheiro na Operação"Nó Górdio" comandando uma Companhia de Comandos (1ª)  e presente em Muera, a colaboração na identificação.

Foto pertencente a LFVidigalAragão

Nenhum comentário: