sexta-feira, 2 de julho de 2010

Rações de combate

A ração de combate que utilizámos não foi sempre a mesma. Na fase inicial muitos produtos doces e salgados, nos primeiros os leites condensados e os concretos de fruta a que alguns chamavam os "croquetos", nos segundos carnes muito temperadas e enchidos. Rações mal concebidas para o cenário em que actuávamos, de elevadas temperaturas durante o dia e muitas vezes com escassez de água.

Só passados uns meses de comissão surgiu outro tipo de ração de combate, tipo 30, em caixa mais comprida, de inspiração sul-africana, com a presença de saladas de fruta e sumos.

Um comentário:

Antides disse...

Poderia depreender-se, de 1 ou 2 comentários publicados, que passávamos fome... Para ser justo, pela minha parte isso não aconteceu. Se no último dia de 2 ou 3 duma operação, se desenterrava um tubérculo de mandica (cassava), era por falta de vegetais.